quarta-feira, 20 de outubro de 2010

FOTOPOEMAS 1



REFLEXOS

.
No espelho d'água
o tremular opaco
da aparência
flutua à deriva
compõe e decompõe
a imprevista imagem
no momento
exacto da vertigem

da falsa percepção
desfeita pela crespa
onda, já aflorada
pelo vento agreste
que refaz a ilusão:
o real e o avesso,
marca d'água
e seu reflexo

Poema de Manuel Simões

1 comentário:

Galadriel disse...

Lindos: Fotografia e poesia!