segunda-feira, 9 de agosto de 2010

OS NADADORES-SALVADORES QUE TEMOS

.
NADADORES-SALVADORES, UMA ESPÉCIE DE TRABALHADORES SEM FORMAÇÃO ADEQUADA?
.

Hoje, num dia de uma temperatura alta, diria mesmo, num dia escaldante, resolvi ir almoçar a um restaurante de praia, daqueles onde ainda se consegue comer com um custo baixo.
Atravessei Leça em direcção ao Cabo do Mundo, e, antes da pista de Karts, resolvi parar. Praia, restaurante e aparcamento remodelados recentemente.
Prato do dia, que isso eles também têm para preços económicos, massa com molho de tomate e frango. Bastante bem servido, a quantidade dava perfeitamente para duas pessoas. Pelo mesmo preço, também servem a sopa e uma bebida à escolha.
Para adiantar pormenores, e encurtar a história, devo dizer que comi tudo a que tinha direito, que era uma hora da tarde, e que a esta hora, quatro da tarde, ainda estou «enfartado».
Ao meu lado, no restaurante, um nadador-salvador. Rapaz dos seus vinte e poucos anos, bem constituído, alto e moreno do sol. Comeu o mesmo que eu, com a diferença de que, enquanto eu deixei alguma comida no prato, tanta ela era, ele comeu até à última partícula. No fim, do mesmo modo que eu, tomou um café. Levantou-se, saiu e logo de seguida foi substituído no repasto por uma nadadora-salvadora, que curiosamente comeu o mesmo que ele. Não fiquei à espera de saber se tinha comido tudo até final.
Agora, depois de ter presenciado isto, pergunto-me:
-Estes nadadores-salvadores sabem o que fizeram e o que a refeição que tomaram pode provocar?
É que estamos numa praia cujas águas rondam os dezasseis graus de temperatura.
É que eles, nadadores-salvadores, podem necessitar de se meterem na água a qualquer momento.
É que com a quantidade de alimentos que ingeriram, e a sua qualidade, comida algo pesada, necessitam de perto de três horas para fazerem a digestão.
E se houver necessidade de o fazerem antes da digestão terminar, como vão reagir? Com medo de uma congestão? Metem-se na mesma dentro de água e seja o que Deus quiser?
Pode ser que seja eu o estúpido no meio desta história toda, mas, é normal que um nadador-salvador, com a responsabilidade de muitas dezenas de pessoas nas mãos, coma desta maneira enquanto trabalha? Estes gajos não têm quem lhe dê formação adequada?
Não há quem verifique e supervisione estas situações?
Para que servem estes tipos nas praias nacionais?

2 comentários:

Alex disse...

Atão Zé, quem trabuca tem de comer pra ter força nas pernas...
Como é que se arranjam forças pra puxar um afogado de não se levar um farnel,heim?
Claro que o estúpido é você, e eu também que não passo da sandoxa pequena, da maçanzita prós açucares

ATRIBUTOS disse...

Na próxima vez que for à paraia, aproveito e levo para o almoço umas tripitas à moda cá da terra