segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

SÃO JÁ MIL E DUZENTAS

.
FUNDAÇÕES, COMO COGUMELOS
.
Pelo que se sabe, devem ser já cerca de mil e duzentas as fundações.
Desde 2001, foram criadas mais de setenta e cinco, e só os governos do nosso estimado líder, Sócrates II O Dialogador, já terão criado ou aprovado cerca de cinquenta, desde que ele chegou ao poder.
Estas coisas estranhas, recebem milhões de euros anuais em subsídios e isenções fiscais, e não existe qualquer controlo para as fiscalizar.
Por causa das coisinhas menos claras que se vão passando com a Fundação Magalhães ( na realidade chama-se Fundação para as Comunicações Móveis, e até para calar quem afirma que o controlo não existe, o Tribunal de Contas lá se pôs, muito a custo, a caminho, e está a realizar uma auditoria.
Das outras mil cento e noventa e nove, quase nem se ouve falar, excepto, claro, e porque nem tudo se esquece, na Fundação Para a Prevenção e Segurança, de António Vara (o homem dos dez mil euros), que, no tempo de Guterres (outro Dialogador), suscitou mais um escândalo.

.
JFM
.
Links:
A

1 comentário:

Anónimo disse...

Essa "CAMPANHA PARA UMA MELHOR VIDA NO NORTE" é aquilo a que se pode chamar proteccionismo falhado. Falhado, porque não dará qualquer resultado. A economia não funciona assim. Os nortenhos vão continuar a adquirir os produtos de qualidade, ainda que sejam originários de outras partes de Portugal e do Mundo.Já connhecia o proteccionismo nacionalista, agora fiquei a conhecer o proteccionismo regionalista falhado. Mesmo com esse proteccionismo, a região Norte de Portugal continuará a ser a região portuguesa onde o PIB per capita é mais baixo. A solução tem de ser outra, não o proteccionismo.