segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

AFINAL, EM PORTUGAL É IGUAL


.
NÃO É SÓ EM ESPANHA

.
Não é só em Espanha que a lei do tabaco proíbe que patrões fumem em casa se tiverem lá alguém a trabalhar nessa altura. Em Portugal, nem patrões nem empregadas domésticas podem fumar nas casas particulares durante o horário de trabalho. 
Apesar desta questão específica não estar expressa na Lei do Tabaco, em vigor desde há três anos (desde 2008), é este o entendimento que dela resulta, segundo dizem os advogados contactados, especialistas em Direito do Trabalho, restando só algumas dúvidas quanto a despedimento com justa causa em caso de prevaricação.
Aos poucos, os não fumadores começam a poder respirar melhor e a sair da alçada e do jugo de quem, ao longo dos anos, lhes infernizava a vida. Mas ainda é pouco, ainda não chega.
Para quando o acto de fumar enquanto se conduz uma qualquer máquina (por exemplo um automóvel), seja comparado ao falar, nas mesmas circunstâncias, ao telemóvel sem aparelho de mãos livres?
Para quando, o acto de fumar, que provoca habituação e dependência e também morte a quem consome e a terceiros, passe a ser considerado crime, a par de outras substâncias cujo consumo é ilegal?
Para quando, a saúde pública vá passar a ficar à frente dos interesses económicos dos Estados? 
Lembremo-nos da enormidade de dinheiro que os governos recebem em impostos derivados do consumo dos cigarros e similares, para podermos afiançar que a resposta a estas perguntas seja hoje e  para sempre, NUNCA!


.

.

5 comentários:

EduardoNunes disse...

Um desabafo emocional, e racional ! Deduz-se que a verdade fica prisioneira do interesse financeiro, fiscal, economico e publico, ou não ? Na relação de custo (despesas c/tratamentos cardiovasculares,cancro do plumão, ..., prevenção, etc.) e receita, inspostos (diretos e indiretos) pagos ao estado, estado esse que controlo o negócio dos produtos tabágicos. Negoceia, transforma, distribui, representa e comercializa, através de uma empresa privada de capital publico, sob a tutela maioritaria do estado Português. Porquê ? Para quê ? Para onde vai o lucro. Quem beneficia do lucro ? Custo, e beneficio, quem vence ? Dá pano para mangas. Inverter as forças. Purificar o ar de que todos necessitamos, eliminar o excesso de c02, depois de decadas de ataque feroz a um pleneta que se quer muito azul Vida, porquê ? para quê ? Pelo outro lado, revisões da lei anti-tabaco, acompanhadas campanhas antitabagicas, que roçam o ridiculo com o excesso de zelo com a 'proteção dos irmãos ñ fumadores', coitadinhos. Reza na Historia presente, e passada, das atrocidades contra nós, próprios, humano e racionais.Só conhecemos um planeta igual ao nosso, que é o nosso. Somos sete biliões de tarraqueos dispersos pela mesma área de á 1000 anos atrás, em que eramos substancialmente muito menos. Deixem-me fumar. Afinal pago impostos

Alex disse...

Sabe... t'ou zangada consigo.
Pronto
Nunca mais cá volto, hoje.
Até amanhã.

ATRIBUTOS disse...

Ó Alex, e porquê?
Sou só um ex-fumador inveterado, que deixou (graças a Deus) de fumar há muitos anos e ficou alérgico até, imagine-se, ao cheiro do cigarro.
Vá lá, não t zangues. Eu prometo que me passo a portar um bocadito melhor.
:o)

Alex disse...

Já me passou, hoje já voltei.

Ahh, não há pior raça que a de "EX-fumador"; sou filha de uma... trabalhamos juntas e acabo de mudar de gabinete - embora não fumasse quando a minha mãe coincidia comigo nas horas de trabalho.
Ó raça fundamentalistazinha...

Beijinhos

ATRIBUTOS disse...

O pior de tudo é que não é sobre o cigarro que sou fundamentalista.
Os meus amigos, que são muito poucos, dizem que sou do piorio. quando se me mete uma coisa na cabeça, é complicado... Eheheheheheheh.
Mas até não sou mt teimoso, só mesmo fundamentalista.

Bjs