sexta-feira, 29 de maio de 2009

OS BONS MOMENTOS DA TELEVISÃO, E A FALTA DE CONTROLO DO GOVERNO.

.
VERGONHA
.
.
A D. Manuela Moura Guedes, ultrapassou tudo o admissível em jornalismo e boa educação. O Bastonário da Ordem dos Advogados, foi acusado, enxovalhado e sistematicamente interrompido. Costumo gostar de ouvir a irreverência da d. Manuela MG, mas desta vez, portou-se muito mal, parecendo servir os interesses de uma facção dos advogados.
O sr Bastonário esteve muito bem na sua indignação, desferindo um ataque à d. Manuela (você faz um péssimo jornalismo e viola sistematicamente o código deontológico), que quando, em desespero, já não aguentou mais, apesar da sua aparente calma, mandou cortar a emissão, ou alguém o fez por ela.
O que eu vi, não me pareceu jornalismo sério e isento, sendo no entanto um "bom" momento de televisão.
Lamentável!
Agora a ERC, vem condenar a TVI, por causa do jornal da noite das sextas-feiras. Foram dez as queixas apresentadas.
O Concelho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social, condenou a TVI por "desrespeito de normas ético-legais aplicáveis à actividade jornalística".
Parecendo ter muito a ver com o que se passou com Marinho Pinto, esta condenação tem muito mais a ver com a falta de controlo que o governo tem sobre esta estação televisiva. Se o fosse, como umas e outras, por certo que as queixas nunca teriam tido fundamento. O Jornal de Sexta-feira da TVI, incomoda muita gente do governo.
A d. MMG, é muito inconveniente, às vezes até parece que não sabe o que está a fazer tanta a vontade de "bater", mas, diz a mais das vezes umas verdades, politicamente incorrectas, que convém calar.

.
JM
.

4 comentários:

Anónimo disse...

a senhora MMG não passa de uma reles que aproveita uma licença de espaço para fazer da 'informação' um mata, mata , esfola, esfola... infelizmente não é a unica.

Anónimo disse...

Este seu último paragrafo está interessante.
Dificil será esqueçer o que ouvimos á sexta feira

Rui Costa disse...

Como aqui disse, eu cá penso que esta decisão só peca por ser branda e tardia.

Num estado livre, é fundamental que a imprensa seja isenta e não-sensacionalista. Pois é a imprensa que traz, traduz e sintetiza a informação para o cidadão.

Anónimo disse...

A ERC e a TVI
Desculpem, mas a ignorância é mesmo atrevida!
Dos 5 membros da ERC 4 foram eleitos pela As. República, 2 indicados pelo PS e outros 2 indicados pelo PSD; estes 4 cooptaram, depois, o 5º elemento que, em reunião conjunta, veio a ser escolhido para presidente, ficando vice-presidente um dos indicados pelo PSD (e por acaso até foi um dos que votou a favor da deliberação).
O Governo não foi tido nem achado no processo, nem exerce qualquer tipo de tutela sobre a ERC, que é uma entidade totalmente independente do Governo e só responde perante a As. República.
Quanto à deliberação, leiam antes de comentar! Não está em causa a liberdade de expressão, de informação ou a liberdade editorial. Se a TVI quiser continuar com aquele tipo de programa claro que tem toda a liberdade para o fazer, desde que o assuma como um programa de opinião, de crítica ou de sátira, tipo “talk show” ou "noite da má língua", p. ex.. Não pode é pretender tratar-se de um noticiário, em que são diferentes as exigências de rigor e de imparcialidade. Quando vejo um serviço noticioso, quero crer que o que me dão são factos comprovados, objectivos, despidos de facciosismo e de interpretações pessoais do jornalista ou da redacção. O que a TVI faz é impingir-nos gato por lebre."Aquilo" pode ser muita coisa, mas jornalismo de informação é que não é!