sábado, 18 de outubro de 2008

No Jn de hoje


.

Papo-seco?
.

Hoje, ao ler as notícias do Notícias (aquele jornal que era do Porto e também se publicava em lisboa, e que agora parece que não é de cá, deve ser de lisboa, e também se publica no Porto), li, na secção Sociedade, e com o título - Porto: "Pão está caro e, se sobrar, congela-se" - escrito pelo senhor Fernando Basto, que, e cito [o papo-seco (ou molete) vende-se a 10 cêntimos].
Papo-seco, que é isso? Não seremos nós, os que compram e lêm este jornal, do Norte, do Porto e arredores? Terão que vir jornalistas de Lisboa ou lá de onde eles vêm (que se este senhor é de cá, ainda é pior), escrever sobre coisas da nossa terra, com expressões da terra deles? Não temos cá profissionais que o saibam fazer?
Não sendo esta a primeira vez que o jornal que era de cá aceita (ou promove) semelhante coisa, vidé as revistas semanais que nos vendem como suplemento e outras notícias que diariamente aquele jornal publica, será caso para perguntar, que é feito dos jornais e jornalistas da nossa cidade?
.
JM
.

Sem comentários: