terça-feira, 25 de agosto de 2009

CHEGA PARA LÁ

.
ABALROADO
.
.
O fotógrafo, coitado, no seu meritório trabalho, enquanto corria de uma (Carolina) para outro (Pinto da Costa), procurando fazer o melhor boneco, de preferência apanhando qualquer dos alvos em alguma posição menos ortodoxa ou mesmo a fazer uma careta, ficou entalado entre dois carros. Um, parado, e outro a andar.
A rua, estreitíssima, não deixava margem para muito mais.
O motorista do carro, na tentativa de fugir a um possível paparrazi, acelerava o enorme veículo, e nem terá dado pelo raspar no homem. As pancadas ouvidas e sentidas no carro foram entendidas como as normais nestes casos, com os populares e os repórteres a serem useiros e vezeiros a fazê-lo.
Este fotógrafo, que já antes, noutra altura, tinha tido um encontro semelhante com o mesmo carro, o mesmo motorista e o mesmo ocupante, cai e tem de ser socorrido no hospital, onde nada de grave lhe foi diagnosticado. De qualquer forma é sua intenção fazer queixa na polícia contra o estafermo do motorista e possivelmente contra o seu empregador.
Este por sua vez, já fez declarações na PSP, e o seu patrão aos factos disse nada.
José Carmo, assim se chama o pobre do repórter fotográfico, terá assim uma rocambolesca história para contar a filhos e netos.

.
JM
.

Sem comentários: