quarta-feira, 26 de agosto de 2009

COITADOS DOS ESPANHÓIS

.
TANTA GENTE A VIVER MAL
.
.
Imaginem que em Espanha, há mais de 60% de assalariados a viver com menos de mil e cem euros por mês (13.200 euros anuais/12 meses - 15.400/14 meses).
Coitadinhos, se calhar temos de os ajudar com alguma coisinha.
Os pobres têm um salário mínimo de 600 euros (7.200 euros anuais/12 meses - 8.750 euros/14 meses), uma vergonha nesta Europa a vinte e sete.
Espanha é um dos países com salários mais baixos.
Eu, se fosse a eles, revoltava-me. Não há direito.

Será que eles querem o ainda nosso Primeiro para os governar?
Por solidariedade para com eles, até nem me importava que ele fosse para lá. Assim como assim, seria mais um emigrante Português com sucesso no estrangeiro. E eles ficavam todos satisfeitos. Em pouco mais de cinco anos, o homem punha o País deles direitinho como um fuso.
Melhor, podemos exportá-lo? A preço de custo? Sem encargos aduaneiros ou outros? Até, sem IVA?
Podemos, por favor?

.
JM
.

4 comentários:

luis santos disse...

e eles recebem 14 ordenados por ano? têem 3 anos de subsidio de desemprego? que eu saiba o subsidio de desemprego em espanha dura apenas 4 meses. em portugal dura 2 anos e, em alguns casos, 3 anos.

espanha tem 18% de desemprego. nós temos 8%.

fomos dos 3 países da europa que mais rapidamente recuperaram da dita crise.

o governo sócrates fez os maiores aumentos de ordenado minimo e reformas dos ultimos 30 anos.

a minha avó, por exemplo, recebia uma miséria que nem dava para os medicamentos. agora está a receber O DOBRO de reforma.

na zona onde vivo (um aldeia no meio do nada mas perto do litoral) tinhamos q ir para o centro de saude de madrugada para sermos antendidos durante o dia.
agora podemos ir a qualquer hora e nunca vi ninguém a esperar de 20, 30 minutos.

sim, temos muito que nos queixar.

Anónimo disse...

Portugal deve ser o unico pais da Europa onde se recebe 14 salarios por ano. Por isso o salario so por si nao diz tudo, interessa sim saber qual o rendimento bruto anual.E ja agora, no estrangeiro tambem nao ha subsidios de almoco.Eu trabalho na Holanda a 5 anos e aqui so se recebem 13 salarios e nao ha ca subsidios para almoco nem uma hora de almoco para ir para o restaurante.E metade do salario bruto vai para impostos.E olhem que eu sei que nao estou a ser explorado, ate estou bem integrado aqui.

Scherzan disse...

Caro Luís Santos. Creio que a sua avó, foi do tempo em que se conseguiu uma reforma sem de facto ter contribuído para o país. Provavelmente nunca descontou, provavelmente não trabalhou senão para proveito próprio. A sua, e muitas avós neste país. Coitados dos seu pais, que suportam o peso dos reformados, em cuja vida útil o país deveria ter endireitado, mas o que realmente aconteceu foi uns empurrarem o trabalho para os outros e os impostos só para alguns. Hoje em dia todos beneficiam de segurança social... mas nem todos a merecem. Sim senhor, o Sócrates subiu as reformas, mas pergunte quantos anos descontou a sua avó, e daqui a muitos anos, compare com o que você descontou e com o que irá receber de reforma (se receber), e concluirá o que escrevo nestas palavras.

Para o país se levantar, é por os reformados a trabalhar. Claro que não a tempo inteiro, mas há pequenos trabalhos que mesmo sendo à primeira vista pouco rentáveis, ainda conseguem fazer diferença. De louvar sim, o meu avô, que ainda 20 anos depois de reformado, vai à antiga firma onde trabalhava para dar uma ajuda...a troco de nada, já que com a sua reforma singela dá e chega para as suas despesas.
Mas no geral, o que o reformado quer é sofá...

JotaB disse...

Com o nosso primeiro ministro, o josé de sousa, podemos mandar todos aqueles que gravitam à sua volta. Estarei mesmo disponível a concordar com o TGV, desde que sirva para recambiar esses trastes para sempre para terras de Espanha. Uma outra condição deverá ser exigida. Nunca mais poderão pisar solo português, nem tão pouco os seus descendentes.
Ajude a correr com esta gentalha :
http://forcemergente.blogspot.com/
http://josemariamartins.blogspot.com/