quinta-feira, 6 de agosto de 2009

A PROPÓSITO DAS ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS



.

.
AO CUIDADO DO SR DR RUI RIO

.
.

A propósito de uma notícia que no JN de há dias atrás li, na qual o sr da Sonae, a convite da sra Elisa, tecia considerandos sobre a nossa cidade e a região Norte, lembrei-me do que eu mesmo tinha escrito, [.... Vem isto a propósito das corridas, de carros e de aviões que em boa hora o Sr. tratou de trazer para a nossa cidade.

Será que é asneira pensar que a nossa cidade precisa de eventos destes e de outros para que seja ainda mais visitada, para que forasteiros venham cá trazer o seu dinheiro para movimentar o comércio e os serviços, para criar emprego nem que seja temporário e todos nós vivermos melhor?
Aproveitando esta onda, não se poderia pensar em fazer no Porto anualmente, um festival aéreo, corridas de motos, concursos de poesia em que o mote fosse a cidade, concursos de ideias para melhorar a vida da cidade, para melhorar e incentivar a visibilidade do Porto lá fora, concursos de estatuária e de pintura em que o mote fosse também a cidade e suas gentes, em posições e estados do dia-a-dia, sei lá, todos as hipóteses de coisas que possam elevar ainda mais a cidade, e leva-la ao conhecimento mundial, pelas coisas que só cá existam?
Ó meu caro amigo presidente, que não duvido que o seja já que sou um seu concidadão, até que ponto será difícil fazer ainda mais coisas pela cidade, sejam elas populistas ou não, mas de que todos beneficiemos economicamente, seja directa ou indirectamente?
Temos que trazer para cá cada vez mais turistas nacionais e estrangeiros, mas turismo de qualidade, e isso só se consegue com a realização de muitos e bons eventos ou a construção de coisas que não haja noutro lado.
Vamos incentivar a vida nocturna, com qualidade e segurança. Vamos trazer ao Porto um S. João todos os meses, que dinamize o comércio e os serviços .....]
em Setembro de 2007, e publicado no "O Primeiro de Janeiro" de Novembro desse ano.

De facto, só com eventos do género das corridas de aviões ou de automóveis ou de barcos, ou outros eventos, quaisquer que eles sejam, que pela sua grandiosidade, pela sua escassez na região, ou ainda que só pela diferença se façam notar, poderemos ter a nossa cidade cada vez mais conhecida e visitada.

A casa da Música, pela sua grandiosidade e diferença, o Sea Life, pela diferença e escassez na região, as corridas de automóveis e as de aviões, serão alguns dos exemplos a que me referi na altura e que continuam actuais. O sr da Sonae, tem toda a razão nesse aspecto.

Só que na verdade não chegam. Precisamos de meia dúzia de eventos do género das corridas, por ano. Quase mês sim, mês não. Precisamos de oferecer coisas que mais ninguém tenha ou ofereça, e publicitá-las bem (há infrainstruturas baratas, como por exemplo as necessárias para as modalidades de Bike Trial e outras, que não existem na região, e poderia começar por esse apoio a modalidades minoritárias). A concentração de eventos no verão, mormente nos meses de Junho e Julho, não é suficiente. É preciso distendê-los ao longo do ano. Só assim se mantém o nível desejado de movimento na cidade, e se insentiva o turismo de qualidade.

O dr Rui Rio, vai, com toda a certeza, ter mais quatro anos à frente da nossa Câmara, tempo mais que suficiente para acabar de nos elevar ao patamar que todos desejamos.


.

(In O Primeiro de Janeiro, 06-08-2009)


.

JM

.


Sem comentários: