sexta-feira, 17 de julho de 2009

DISCRIMINAÇÃO COM EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS

.
HOMOSSEXUAIS MASCULINOS
.
.
O sr Presidente do IPS, alega evidências científicas para excluir os srs homossexuais masculinos do acto de serem dadores de sangue. Será com medo de contágio? O sr Presidente, para ter razão, tem de explicar tudo isto muito bem, como se fossemos todos umas criancinhas de três anos.
É difícil de entender esta posição, pois que a alegação de ser um potencial grupo de risco, tendo isso a ver com o seu comportamento, não colhe muito bem, uma vez que há por aí fora inúmeros indivíduos/as com visitas assíduas a prostitutas/os, outros/as com relações fora do casamento, e outros/as ainda, muitos, com comportamentos de risco ao não usarem protecção adequada nas suas relações sexuais, e não são tidos por essa razão, em conta.
Para além disso, não se entende como pode uma pessoa ser considerada de risco ao ser dador de sangue, uma vez que as análises a esse mesmo sangue/pessoa, têm de ser obrigatoriamente feitas.
Mas este comportamento dos responsáveis, acontece por esse mundo fora, não sendo só em Portugal, pelo que, talvez eles possam ter alguma razão, qualquer que ela seja, que não nos é explicada, não nos é dita, e que tornaria esta atitude politicamente correcta.
Assim, da maneira apresentada, não o é.

.
JM
.

3 comentários:

Anónimo disse...

se tivesse lido esta parte da notícia tinha percebido. eu sou homem, homossexual e não me sinto nada discriminado. sinto-me é seguro, no caso de necessitar de levar uma transfusão de sangue.

"Segundo Gabriel Olim, não se trata de discriminação mas sim de "selecção", uma vez que "a prevalência de agentes patogénicos que podem provocar doenças graves por transfusão de sangue é maior na população homossexual masculina".

"Por razões anatómicas, os homens estão mais expostos a doenças graves que possam ser transmitidas", afirmou, acrescentando que todos os dias se excluem 25 por cento de potenciais dadores pelas mais variadas razões.

(...)

"Se a pessoa estiver anémica, a tomar medicamentos ou se for heterossexual e tiver tido um novo parceiro nos últimos seis meses, também não vamos aceitar esse sangue", disse, acrescentando "nada ter contra os homossexuais". "

Anónimo disse...

E há mais: uma vez que coloca os suas ideias acessíveis a todos, através da Rede, deveria ter um pouco mais de cuidado com o uso do Português. Assim, evitar-se-ia uma grande "calinada" logo no título da mensagem: é que neste caso poderá haver discriminação, mas nunca descriminação.

Quanto à substância da questão, conclui bem que a decisão tomada não é "politicamente correcta". E, acrescento eu, ainda bem. É preciso que seja, isso sim, "cientifcamente correcta".

ATRIBUTOS disse...

Caro anónimo,

Lamento e assumo o erro crasso, não o justificando pois que não a tem, e que já corrigi.
Obrigado pelo reparo.

JM