sexta-feira, 11 de setembro de 2009

AOS DEZASSEIS PODEM IR PRESOS, AOS DEZOITO JÁ VOTAM

.
ESCOLARIDADE OBRIGATÓRIA ATÉ AO 12º ANO
.
. .
As nossas crianças vão ter acesso a preservativos a partir dos doze anos, assumindo-se assim que deverão ser sexualmente responsáveis. As nossas crianças podem ir presas aos dezasseis, pelo que já respondem criminalmente pelos seus actos. As nossas crianças podem trabalhar a partir dos dezasseis anos, podendo assim prover o seu sustento. As nossas crianças têm sido obrigadas até agora a frequentar a escola até ao nono ano, mínimo quinze anos de idade. As nossas crianças podem votar e assim influenciar a governação aos dezoito anos, assim como nessa idade deixam de o ser e passam a ser consideradas adultos.
Com a obrigatoriedade de frequentarem a escola até ao 12º ano, mínimo de dezoito anos, as nossas crianças ficam sem a possibilidade de decidir a sua vida a partir do dezasseis, trabalhando ou deixando de estudar.
Para além disso, que diferença faz a um aluno que não sabe ler ou escrever Português em condições, ou não sabe o básico da matemática, ser um calhau com dois olhos com nove anos de escolaridade, ou o mesmo calhau com doze, se olhando bem, os que têm o 12º ano e entram para a universidade não sabem dessas matérias mais do que eles?
A actual taxa de escolarização de uma criança/jovem com dezassete anos é agora, de 90%, mas eles continuam a não saber Português ou matemática. Que interessa então?
Não seria mais importante ensiná-los, em vez de os obrigar a estar lá mais tempo?
A sra ministra entende ser esta, escolaridade obrigatória até ao 12º ano, a sua medida mais importante. Perante tudo isto, permito-me duvidar.

.
JM
.

1 comentário:

Alex disse...

Tenho uma imensa esperança, ainda que apenas esperança, de que já não valha muito a pena preocuparmo-nos com esta ministra. Bem... uns ovinhos dão sempre jeito, que nada lhe falte...