quinta-feira, 10 de setembro de 2009

JÁ ERA DE SE ESPERAR


.

.

JORNAL NACIONAL, ACABOU

A suspensão do Jornal nacional de Sexta - feira, na TVI, provocou um terramoto político.

São muitas as reacções ao “escândalo” da TVI. Os tentáculos da mãozinha fechada, abafam e apagam a rebeldia da jornalista.

Os restantes jornalistas reúnem-se em AG, e direcçaão de informação, demite-se. Vasco Pulido Valente abandona a colaboração com a estação da televisão.

MMG tem uma peça sobre o Freeport, pronta a ser transmitida. A suspenção do Jornal Nacional não era esperada.

Moniz fala e diz que há um cerco à liberdade de informação.
Toda a gente diz que tudo isto aconteceu por causa das inoportunas notícias contra o sr Pinto de Sousa, que mais uma vez, vence um "round". As ordens vieram e foram cumpridas.

O sr Soares disse (o quê?), mas poucos o ouviram.

O sr Sócrates, sentiu necessidade de vir dizer que não teve nada a ver com isto. Não foi ele que mandou. Não foi. Não foi mesmo. Não foi, OUVIRAM BEM?
A democracia está de luto. Portugal também.

Toda a gente tem opinião, uns a favor da suspensão, poucos, e outros, muitos, contra e solidários com MMG.

O Presidente falou, o ex-presidente falou (embora já poucos o ouçam), o ainda nosso Primeiro, explicou-se, os comentadores abordaram o assunto de todas as maneiras e feitios, a administração da Prisa veio dizer nada, a Média Capital também, os partidos políticos gritaram, a liberdade de expressão foi abalada, o zé povinho fala e diz. Não há ninguém que não tenha opinião.

Multiplicam-se os apoios à d. Manuela, agora com uma vigília de solidariedade, já se falando em greve dos jornalistas da TVI.

Aparentemente, a suspensão do Jornal, foi um tiro no pé do partido do governo, embora nestes dias que faltam para as eleições, fique a ganhar, pois conta com menos um inimigo figadal.

Na tentativa de dar a volta aos acontecimentos, surge a notícia, absurda, oriunda dos meios governamentais e do partido do governo, de que tudo isto não passa de uma cabala para prejudicar o ainda nosso Primeiro.

Mais uma (agora chamam-lhe cilada) que os inimigos do sr Sócrates lhe apontaram, quase faltando dizer que tudo isto não passa de uma manobra da própria d Manuela.

É de loucos. O que o desespero os faz dizer.

E o que será que faz pensar assim o dr Cavaco? É mesmo um crente este nosso Presidente.

O homem ainda crê e espera que a liberdade de expressão não tenha sido posta em causa.
Eu, que até não gostava do Jornal Nacional, sabia que não iam deixar a d Manuela por muito tempo, agora que não tinha o apoio do sr Moniz, a falar o que bem lhe apetecia. É que a sra, dizia "barbaridades" que nunca foram desmentidas, nem tem qualquer processo por difamação ou outro.

A administração da Prisa, cometeu um erro enorme ao fazer acabar, e com isso "servir o governo", o Jornal de MMG.

Senhor Presidente, abra os olhos e actue, se puder. Ou senão acabamos por actuar nós, no dia 27.


.

(In O Primeiro de Janeiro, 10-09-2009)


.

JM

.


1 comentário:

Alex disse...

O Senhor Presidente não actua (Ó Aníbal não te metas...)
e quanto ao nós actuarmos... A ver vamos. Há muito quem ganhe eleições à conta dos complexos de esquerda dos trabalhadores.